Investimento de mais de R$ 100 milhões tem licença ambiental aprovada

Trabalho conjunto entre Sedec e Sema deve viabilizar ampliação de indústria do setor lácteo

Publicação: 

31/05/2022  às  12h15min

Investimento de mais de R$ 100 milhões tem licença ambiental aprovada
Investimento de mais de R$ 100 milhões ampliará a planta industrial e criará nova linha de produção. - Foto - Jornal Tribuna da Produção

A Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam) concedeu Licença Prévia e de Instalação para Alteração (LPIA) à empresa Whey Powder nesta terça-feira, 26. Para a ampliação da unidade industrial de Palmeira das Missões em 13,4 mil metros quadrados, a empresa vai investir mais de R$ 100 milhões. O empreendimento poderá contar com apoio do Fundopem, mecanismo de fomento a investimentos no Estado. Com a licença do órgão ambiental, o projeto para incentivo fiscal pode voltar a tramitar na Secretaria de Desenvolvimento Econômico e não tem prazo para ser confirmado.

Com o investimento, a empresa irá alterar seu processo produtivo que antes contemplava recepção do leite, pasteurização, desnate e concentração. A partir da alteração, contemplará o soro do leite/leite e creme pasteurizado, pasteurização, desnate, secagem, resfriamento, envase e expedição. Além disso, está previsto o processamento do composto lácteo de gordura animal (GA) e de gordura vegetal (GV).

Para isso, o projeto prevê instalação de novos equipamentos para a criação de uma linha de produção de secagem de produtos líquidos, além de alteração no tratamento e corpo receptor dos efluentes líquidos sanitários e otimização na estação de tratamento de efluentes líquidos industriais. Segundo o secretário do Desenvolvimento Econômico, Edson Brum, “Estamos falando de um projeto que vai agregar valor à produção primária gaúcha e gerar novos subprodutos, enriquecendo a cadeia produtiva do leite no nosso estado”.

A Whey Powder é um consórcio de oito laticínios gaúchos que adquiriram a planta industrial que pertencia à Nestlé e, com a parceria de mais de quatro mil produtores, pretendem fazer da marca a maior indústria de produtos à base de soro de leite do Brasil.